Endereço

Av. Raul Soares, 121, 1º Andar, Centro - Aimorés/MG

A contabilidade [na_cidade] e o seu perfil de liderança: PARTE 2

Vários perfis de liderança podem ser traçados por meio de um serviço de contabilidade , confira o segundo texto sobre o tema e outros perfis

Como promessa é dívida, chegamos com o segundo texto dos artigos que irão falar sobre a série de perfis de lideranças em uma empresa e como esses perfis podem ser traçados através de serviços de contabilidade . Você, como líder de uma empresa, precisa estar focado em qual perfil de liderança se encaixa melhor à sua equipe de trabalho, sua empresa e o mercado, além de saber o que precisa ser mudado, o que pode agregar à sua empresa, passando diretamente pela sua postura, ou pela mudança dela. Confira, então, a segunda parte da série de artigos sobre o tema liderança e saiba como a contabilidade pode ser uma mão na roda nessa sua busca pela postura perfeita como líder.

Workaholic

Caso você não saiba o que significa workaholic, é um termo em inglês que traduzido representa o sujeito “viciado em trabalho”. O líder workaholic é movido por resultados e não se importa de trabalhar muitas horas por dia, colocando em risco até a sua qualidade de vida. Para ele, a qualidade de vida se traduz em resultados positivos.

É um cara movido por metas e desafios, o problema é que o líder workaholic tende a cobrar a mesma postura dos seus liderados, entretanto, tudo em excesso faz mal, e com o trabalho não é diferente.

Enquanto por um lado, os resultados costumam motivar a equipe, por outro, um líder desse perfil pode distorcer limites pessoais.

Cabe a contabilidade traçar o perfil da empresa e dos funcionários para medir o nível de aplicação que a empresa precisa para combinar as ações em uma medida que os resultados surjam sem conflitos internos.

Paterno

Agregador, busca sempre o bom relacionamento entre cada um dos seus liderados, tratando-os como se fossem de sua própria família. Entende que a cooperação e o clima amistoso dentro do local de trabalho precisa ser valorizado acima de tudo, o que pode ser um erro, quando entendemos que os resultados definem as estratégias de ação.

Embora um bom ambiente seja benéfico para os resultados, uma pitada, na medida, de cobrança não faz mal para que os funcionários não se acomodem e busquem cada vez mais o seu melhor desempenho para com a empresa.

Geralmente, o líder paterno não sabe cobrar, pois tem uma concepção desconexa do feedback e mesmo sendo bastante humano e bem quisto não faz bem para a saúde dos resultados da empresa.

Vendo os benefícios do agregamento do líder paterno à equipe, cabe a contabilidade , ao indicar o perfil dos liderados, do mercado e da empresa de modo interno, busque traçar estratégias para que o líder paterno venha munir a sua inteligência pessoal com os métodos estratégicos, sendo o líder da empresa sem deixar de ser o amigo da galera.

Técnico

Bem como o líder de postura paternal, o líder técnico é um cara de família, que quer trazer a sua equipe para si. Entretanto, a forma com que o líder técnico busca agregar a sua equipe é diferente do líder paizão, já que o líder técnico, em busca da unidade em sua equipe, trabalha a proximidade por meio do autoconhecimento e do despertar das qualidades e do empenho dos seus liderados

Mas se de um lado o empenho do líder técnico gera um nível de profissionalização maior aos seus liderados, por outro lado a sua postura pode, por vezes, parecer pasteurizada, já que ele tende a ver sempre a gestão de pessoas algo corrigível com treinamentos, capacitações e workshops, sempre de cunho técnico, esquecendo um pouco a importância do tratamento humano, que conta muito na gestão de uma empresa.

Cabe, então, a contabilidade , achar a medida entre o profissional e o pessoal, dando um pouco de tato paternal ao líder empenhado apenas com o sucesso técnico. A qualificação do autoconhecimento é fundamental no enquadramento desse tipo de ação.